Notícias

Economia Extractiva e Mobilização e Realocação de Recursos

Organizações da sociedade civil, académicos e investigadores e representates do governo, sindicatos e empresas reuniram-se, em Maputo, numa conferência de dois dias so o lema 'Por uma Governação Participativa, Transparente e Responsável dos Recursos Minerais em Moçambique'. A conferência discutiu direitos humanos, transparência, reassentamentos, tributação, conteúdo local, mobilização de recursos e opções de desenvolvimento. Nesta conferência, Carlos Nuno Castel-Branco, do IESE, apresentou uma comunicação sobre o tema 'Economia extractiva e mobilização e realocação de recursos' (pdf)

'Growth, capital accumulation and economic porosity in Mozambique: Social losses, private gains' recebe prémio internacional Ruth First

A Review of African Political Economy (RoAPE), uma destacada revista científica, peer reviewed, sobre questões de desenvolvimento africano, atribuiu ao artigo 'Growth, capital accumulation and economic porosity in Mozambique: Social losses, private gains', de Carlos Nuno Castel-Branco, o prémio Ruth First do melhor artigo de autor africano publicado pelo RoAPE em 2014. O artigo desenvolve uma abordagem de economia política focada na análise do sistema social de acumulação, que descreve o processo de "porosidade económica" e como é que ele funciona como mecanismo de acumulação primitiva de capital em Moçambique, realocando mais valia por via da expropriação do Estado em favor de oligarquias financeiras nacionais em emergência e do capital multinacional. O prémio é uma importante distinção para o autor, que foi o primeiro director do IESE e que à data do prémio era o coordenador do grupo de investigação de economia e desenvolvimento (GdI E&D), pela originalidade intelectual e rigor do trabalho, mas também para todos os investigadores do GdI E&D e para o IESE, reflectindo o contributo que têm prestado no debate sobre questões fundamentais do desenvolvimento económico e no desenvolvimento de paradigmas e abordagens de análise económica aplicados a Moçambique. O artigo poderá ser descarregado livremente até 30 de Junho, a partir do link: http://www.tandfonline.com/doi/pdf/10.1080/03056244.2014.976363.

"Moçambique Contemporâneo: 'Milagre' ou 'Estado Falhado'?", em debate na Universidade de Manchester

O workshop sobre a experiência de desenvolvimento de Moçambique contemporâneo foi organizado pelo Institute for Development Policy and Management (IDPM) e pelo Humanitarian and Conflict Response Institute (HCRI), da Univesidade de Manchester (cartaz), e contou com a participação de docentes e estudantes de pós-graduação, doutoramento e pós-doutoramento. Carlos Nuno Castel-Branco, director de investigação no IESE e investigador sénior honorário do IDPM, apresentou uma comunicação com o título "Contemporary Mozambique: 'Miracle' or 'Failed State'? From a Political Economy Perspective, Neither!" (pdf).

Destaques

“Desafios para Moçambique 2015” lançado brevemente em Maputo pelo IESE

O IESE lança brevemente em Maputo o livro “Desafios para Moçambique 2015”. Trata-se do sexto volume da série “Desafios” iniciada em 2010. O livro reúne um conjunto de artigos sobre temáticas de interesse nacional actual, divididos em quatro secções, designadamente “Política”, “Economia”, “Sociedade” e “Moçambique no Mundo”. Tendo como pano de fundo o actual cenário político, económico e social de Moçambique, a primeira secção trata de temas como alguns desafios do novo presidente de Moçambique, Filipe Nyusi, participação da sociedade civil em processos eleitorais e sobre descentralização sectorial e provisão de serviços públicos. A parte económica reflecte sobre porosidade e acumulação primitiva de capital, desafios da sustentabilidade do crescimento económico, dinâmicas actuais de aquisição da terra para investimento, ligações entre as empresas nacionais e empresas estrangeiras, megraprojectos e conteúdo local bem como dos efeitos da implementação dos grandes projectos sobre os camponeses. A terceira secção reflecte sobre poupança externa num contexto crescimento económico sem poupança interna, ausência de uma pensão universal para idosos, desigualdade socioeconómica e transição demográfica bem como sobre as oportunidades e desafios oferecidos pelo dividendo demográfico. Finalmente, a quarta secção aborda dois temas: Relação Moçambique-Malawi, e o engajamento brasileiro no Malawi e em Moçambique.

O livro contém 17 artigos e conta com a participação de 21 investigadores (moçambicanos e estrangeiros) dos quais 10 são investigadores permanentes do IESE. Veja o índice (pdf)

 

Publicações recentes